Título: Antonio da Costa Santos: uma arquitetura moderna e social em campinas

Autor: Antonio Luis Tebaldi Castellano

Orientador: Leandro Silva Medrano

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Arquitetura moderna – Brasil , Arquitetura brasileira , Arquitetos – Campinas (SP), Arquitetura e historia , Etica profissional

Resumo: Este trabalho pretende contribuir à historiografia da Arquitetura Moderna Brasileira, especificamente da Arquitetura Paulista. Para tanto, trata de identificar, reconhecer e analisar a produção arquitetônica de Antonio da Costa Santos, que viveu em Campinas de 1952 a 2001. Disserta sobre sua formação e reconhece as referências conceituais e projetuais que absorveu na FAU-USP da primeira metade da década de 70, período em que cursou a faculdade e que aprofundou nas duas décadas seguintes, nos seus estudos de Pós-Graduação. Examina em que bases se deu sua postura profissional e qual sua contribuição à profissão de arquiteto, no processo de constituição de uma cultura arquitetônica no Brasil. Tem a responsabilidade do pioneirismo, já que é a primeira vez que sua obra é analisada num enfoque científico, e também o desafio de inserir a contribuição de mais um arquiteto campineiro no quadro maior da historiografia da arquitetura em São Paulo. Optou-se por uma abordagem de análise essencialmente arquitetônica, ou seja, que busca apontar seu significado a partir da observação das obras, embora também tenham sido buscadas outras fontes de apoio como projetos, croquis, anotações em desenhos, agendas pessoais do arquiteto e depoimentos de pessoas próximas. Este trabalho, de cunho histórico-documental, desenvolve-se por meio de estudos de caso, mais especificamente de quatro obras, selecionadas por representatividade de enfoque, dentre o conjunto da obra do arquiteto. Como resultado emerge uma arquitetura de qualidade e rica em significados e, também, uma metodologia de projeto singular, na qual os fundamentos teórico-conceituais, técnicos e procedimentos de trabalho são o reflexo das influências que recebeu e traduzem sua postura diante da profissão. Toninho, como era conhecido, estreitou como poucos os vínculos entre arquitetura e compromisso social, marca maior do arquiteto, que tornou-se vice-prefeito, em 1989 e prefeito, em 2001, de uma das maiores cidades do estado de São Paulo – Campinas.

Origem: Biblioteca Digital da UniCamp

Acesso pela nossa equipe em: 06/01/2010

Anúncios