Título: Museu da cidade: arte, história e espetáculo

Autor: Luciana Dultra Britto

Orientador: Maria Jose de Azevedo Marcondes

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Museu , Cidade , Arte , Espetaculo

Resumo: Essa dissertação busca compreender o que são os Museus da Cidade e como eles se inserem no contexto urbano; por ter sido um dos pioneiros entre os museus brasileiros dedicados especificamente à cidade, o Museu da Cidade de Campinas tornou-se o foco desse trabalho. Uma vez que os Museus da Cidade são definidos como centros especializados na história e na cultura urbana, um conjunto de reflexões sobre as relações entre museu, cidade e arte orienta os passos dessa pesquisa; ela se baseia em bibliografia acadêmica, publicações impressas e eletrônicas, pesquisas de campo e levantamentos. A pesquisa parte do colecionismo praticado na Europa entre os séculos XII e XVII, estuda o surgimento do museu público, sua diversificação, a criação de um modelo de museu exportado para as Américas no século XVIII e seu desenvolvimento no Brasil até que no início do século XX fossem criados aqui museus de diversas especialidades. No fim do século XX, muitas cidades e patrimônios foram alçados à categoria de bens culturais; “musealização” e “espetacularização” eram, então, formas de preservar o patrimônio urbano e resgatar a idéia mesma de cidade para a população. O que a cidade podia atribuir ou extrair de seu patrimônio, bem como os cuidados que dispensava a ele e ao seu ambiente tornaram-se índices de qualidade de vida e fatores de atração para novos investimentos. Essa dissertação analisa, em seguida, as concepções museológicas e as experiências de criação dos Ecomuseus ou Museus de Território franceses, do Museu Regional brasileiro, do Departamento de Cultura e do Museu da Cidade de São Paulo como elementos de formação dos Museus da Cidade no século XX. No final do século XX, a implantação de novos museus e sua “espetacularização” passou a ser entendida como forma de produzir locais de sucesso e de projetar a imagem da cidade frente às demais; mais do que conhecimentos, esperava-se dos museus lazer e diversão. Finalmente, essa dissertação enfoca o Museu da Cidade de Campinas inaugurado em 1992; naquela ocasião, esse museu parecia atender em nome, proposta e edificação às recomendações científicas, às tendências econômicas e aos valores culturais dominantes entre os países globalizados. Sua análise revela a deformação do projeto original e o desvio das funções do museu, mas evidencia, também, suas potencialidades. O propósito dessa dissertação é demonstrar que, uma vez especializado na história e na cultura urbana, o Museu da Cidade de Campinas pode ser o mediador ideal do meio artístico local e o promotor de um pólo cultural relativamente autônomo da capital.

Origem: Biblioteca Digital da UniCamp

Acesso pela nossa equipe em: 13/01/2010

Anúncios