Título: A sala bem temperada interior moderno e sensibilidade eclética

Autora: Marta Silveira Peixoto

Orientador: Carlos Eduardo Dias Comas

Categoria: Tese.

Palavras-chave: Arquitetura de interiores; Arquitetura moderna; Casas; Decoração; Ecletismo; Jeanneret, Charles-Édouard, 1887-1965; Le Corbusier, 1887-1965; Mies van der Rohe, Ludwig, 1886-1969; Residências; Salas de estar.

Resumo: A ambientação de interiores é uma dimensão fundamental da arquitetura moderna que está interessada no desaparecimento da fronteira entre interior e exterior, na continuidade espacial, na transparência, na redução das paredes e na flexibilidade dos espaços; tudo isto sob a regência de um espírito único e harmonioso, comandado pelo arquiteto. Este trabalho, então, analisa as ambientações projetadas para os salões de algumas das casas consagradas produzidas entre 1930 e 1950, especialmente, e procura estabelecer as possíveis relações desta produção, entre contemporâneos e deles com seus antecedentes históricos. O ponto de partida é a constatação inicial de que há diferentes maneiras de tratar o assunto. A inserção desta variável, ambientação de interiores, amplia o espectro de análise da arquitetura moderna, possibilitando uma visão mais abrangente e completa de sua produção, além de buscar e organizar o material relativo ao assunto. A opção pelo tema residencial é consequência da importância que ele asssume no período, estabelecendo-se como programa preponderante e valioso campo de experimentação de idéias. As casas são aquelas de uma elite, não apenas econômica, mas também cultural, disposta a patrocinar e identificar-se com a vanguarda arquitetônica, e o foco da análise recai nos ambientes socias e de representação.

Origem: Portal UFRGS – Repertório Digital LUME

Acesso pela nossa equipe em: 20 de out. de 2010.

Anúncios