Título:  Açorianos no Rio Grande do Sul: antecedentes e formação do espaço urbano do século XVIII

Autora: Luisa Durán Rocca

Orientador: Günter Weimer

Categoria: Tese.

Palavras-chave: Cidades: Brasil colonial; Cidades: Rio Grande do Sul; Cidades coloniais: Portugal; Configuração espacial; Configuração urbana; Cultura portuguesa; Desenvolvimento socio-economico; Espaço urbano; História da arquitetura: Açores (Portugal); Imigração açoriana; Urbanismo: Século XVIII; Urbanização: História.

Resumo: A tese estuda a configuração urbana inicial dos 25 assentamentos estabelecidos pela administração colonial portuguesa no século XVIII no território que hoje constitui o Estado do Rio Grande do Sul, caracterizados em boa parte pela presença açoriana. A questão mais abrangente apresentada refere-se à verificação da existência ou não, de um tipo de aglomeração específico em relação ao urbanismo colonial português, considerando as particularidades políticas, econômicas e sócio-culturais que caracterizaram a ocupação e o desenvolvimento da região. O trabalho inicia com a formulação da hipótese e uma revisão historiográfica. È colocada a relação entre migração e cultura e é revisada a questão do mito da açorianidade. Apresentam-se as referências metodológicas, revisam-se conceitos e propõe-se uma estrutura de analise. Seguidamente apresenta-se o relato do processo de ocupação do atual território sul-rio-grandense durante o período colonial. A pesquisa continua com a apresentação dos antecedentes. Ou seja, a analise da milenar tradição urbana portuguesa em suas variantes erudita e popular, a partir da síntese das invariantes e das especificidades em alguns assentamentos selecionados como representativos, desde a antiguidade até o século XVIII, na península ibérica, nos arquipélagos de Açores e Madeira e nos territórios luso-americanos. Destaca-se a participação de açorianos e madeirenses na urbanização do Brasil. Também se descrevem algumas das experiências urbanísticas contemporâneas ao inicio da urbanização sul-riograndense na Espanha, Portugal e Hispano-américa, produzidas pelo pensamento ilustrado. A seguir apresenta-se um quadro socioeconômico e cultural da região sul-riograndense e analisa-se cada um dos estudos de caso em seus primeiros estágios. A análise espacial desempenha um papel central no argumento e coloca a estrutura descritiva dentro de uma perspectiva histórica. Finalmente verifica-se a existência ou não de uma identidade de aglomeração açoriana para responder a hipótese lançada, confirmando-se que a pesar da indiscutível contribuição demográfica e sociocultural dos ilhéus a espacialidade das ilhas na maioria dos estudos de caso foi alterada pela interferência do urbanismo oficial.

Origem: Portal UFRGS – Repositório Digital LUME

Acesso pela nossa equipe em: 25 de out. de 2010.

Anúncios