Título: O patrimônio histórico e artístico nacional no Rio Grande do Sul no século XX: atribuição de valores e critérios de intervenção

Autores: Ana Lúcia Goelzer Meira

Orientador: Sandra Jatahy Pesavento

Categoria: Tese

Palavras-chave: Patrimônio arquitetônico; Patrimonio historico: Preservação; Preservação histórica: Documentação; Restauração (Arquitetura); Rio Grande do Sul.

Resumo: Esta tese versa sobre “O Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio Grande do Sul no século XX: atribuição de valores e critérios de intervenção”. Inicia com a apresentação das trajetórias dos campos da história, da história da arte e do patrimônio. A seguir, definem-se os conceitos pertinentes ao tema, nos campos da arquitetura e do patrimônio, e, em relação a este último, os critérios recomendados pelas cartas internacionais e aplicados pelos técnicos que se ocupam das intervenções nos bens edificados. A partir da análise da trajetória do IPHAN e, especificamente, de algumas obras de restauração, procura-se entender a atuação do Instituto no Brasil para melhor situar a relação do mesmo no Rio Grande do Sul. Aborda a preservação no estado, investigando as escolhas sobre o que se tornou patrimônio, os valores associados aos tombamentos dos bens edificados, os critérios utilizados nas intervenções e, permeando ambos, a oscilação entre a busca da imagem e do documento. As obras de restauração tiveram por objetivo, em alguns momentos, produzir uma representação/imagem desejada das edificações restauradas, privilegiando a consagração de aspectos visuais e, em outros, buscaram a salvaguarda de um documento herdado, procurando preservar os elementos constitutivos autênticos das mesmas. A busca do documento na restauração representa a preservação daquilo que efetivamente existiu enquanto matéria. A imagem, por sua vez, busca aquilo que poderia ter sido e representa uma construção imaginária. Um tema que emergiu da pesquisa e, devido a sua relevância, mereceu um destaque no texto é a participação da sociedade civil na preservação do patrimônio histórico e artístico nacional no Rio Grande do Sul. As trajetórias regionais do IPHAN carecem de estudos em todo o território nacional. Esta tese poderá ser útil para quem atua no campo da preservação, especialmente na própria instituição, para entender a sua trajetória desde o ponto de vista das unidades descentralizadas.

Origem: Portal UFRGS – Repositório Digital LUME

Acesso pela nossa equipe em: 18 de out. de 2010.

Anúncios