Título: Análise da resistência à aderência de argamassa para uso em edificações históricas

Autores: Elton de Souza Góes

Orientador: Cybele Celestino Santiago

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Não disponivel.

Resumo: A maioria das patologias presentes nas fachadas é o descolamento do revestimento. Portanto, aderência da argamassa ao substrato é uma importante propriedade, sobretudo nas argamassas históricas. No presente trabalho, foi constatada a baixa adesão das argamassas das fachadas históricas, basicamente compostas de argamassa de cal. Em comparação com a NBR 13749/96, as fachadas estudadas estariam condenadas, Entretanto, seria uma atitude temerária retirar toda a argamassa histórica existente a fim de atender à norma. Diante disto, passamos a questioná-la sob a ótica dos revestimentos históricos. Outro fator relevante abordado é a “Teoria da Compatibilidade”, que prediz que toda restauração deva ser executada com materiais de resistência física e mecânica menor que os adjacentes à área intervinda. Sendo assim, as argamassas novas postas em substituição à região mais danificada (com descolamentos) deve ter também baixa adesão e, por conseguinte, descumprir a norma. As situações anteriormente descritas são corriqueiras em restauro e nos levam a uma crítica da norma supracitada no sentido de se abandonarem os índices mínimos de resistência à aderência (0,30 MPa) e passar a fazer uma avaliação do revestimento quanto à sua dureza superficial, pulverulência e ausência de fissuras. Caso os valores de mínimos de norma fossem imprescindíveis, como se explicaria o fato de construções do século XVII e XVII ainda hoje estarem com os seus revestimentos íntegros?

Origem: Portal PPGAU/ FAUFBA

Acesso pela nossa equipe em: 30 de nov. de 2010.

Anúncios