Título: Bahia: tempo, cidade, arquitetura

Autores: Alberto Rafael Cordiviola

Orientador: Profª. Esterzilda Berenstein de Azevedo

Categoria: Tese

Palavras-chave: Não disponivel.

Resumo: Contribuição à análise de conceitos básicos que interferem na ação sobre a sociedade urbana, no intuito de pôr em evidência os mecanismos de poder que encerram. A partir do slogan político surgido no início dos anos 70 do século passado –Aqui a Bahia constrói o seu futuro sem destruir o seu passado –, que serve como mote das radicais transformações na estrutura urbana de Salvador nas três décadas finais do século, analisam-se em profundidade os conceitos de Tempo e Cidade. Símbolos conceituais de um alto nível de síntese e instrumentos de pouca ou nenhuma possibilidade de modelagem por parte das pessoas comuns que a eles se submetem cotidianamente, constituem, portanto, instrumentos privilegiados como operadores culturais e ferramentas de poder. Por outra parte, analisa-se a arquitetura como arte que, por uma parte, outorga materialidade aos discursos de transformação da cidade e, por outra, funda os novos cenários dessas transformações. A análise sobre os conceitos Tempo e Cidade se iniciam, respectivamente, com asConfissões e a Cidade de Deus de Santo Agostinho, obras que formularam, magistralmente, o conceito do Tempo linear da Divina Providência e a Cidade Ideal como Cidade Celestial. Estuda-se a transformação histórica do tempo da Providência para o tempo do Progresso e da Cidade Celestial para a Cidade Ideal da modernidade e a sua técnica específica: o urbanismo. A aproximação do conceito de Arquitetura compreende uma análise das discussões das últimas décadas do século XX. Essas análises são, finalmente, utilizadas na construção de uma visão das transformações recentes de Salvador – desde a década de 70 ao final do século – como instauração de uma dinastia de poder que utiliza Tempo, Cidade e Arquitetura como seus instrumentos.

Origem: Portal PPGAU/ FAUFBA

Acesso pela nossa equipe em: 25 de nov. de 2010.

Anúncios