Título: Pelotas: Da fragmentação ao restauro

Autores: Danielle Rocha Benício

Orientador: Odete Dourado Silva

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Não disponivel.

Resumo: Esta dissertação apresenta uma abordagem de restauro da cidade e a aplicação dessa abordagem à cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. Tal abordagem fundamenta-se no pensamento fenomenológico, no âmbito das teorias do restauro de BRANDI e da cidade de ROSSI. Desse modo, o restauro é entendido como uma possibilidade de leitura, uma leitura fenomenológica do fenômeno cidade. Nesse sentido o restauro realiza-se na consciência da obra, ao ser confrontada com o ente material. Ora, a mesma consciência que reconhece a obra de arte reclama a sua conservação e, se necessário, o seu restauro. Ou seja, sem o reconhecimento da obra como obra de arte, não se pode falar de restauro. Aliás, apenas através do reconhecimento da instância estética, a obra deixa de subsistir apenas potencialmente como artística, passando a existir como obra de arte. Além disso, a unidade estético-histórica da obra, mesmo estando fragmentada, a sua leitura ainda é possível, pois a unidade subsiste potencialmente em seus fragmentos. Diante da fragmentação da unidade da obra, o restauro se impõe como imprescindível, a fim de restabelecer essa unidade potencial e transmiti-la ao futuro, sem apagar as marcas impressas pelo tempo transcorrido. Logo, o restauro da cidade depende, antes de qualquer intervenção prática na estrutura material, do reconhecimento da instância estética, da apreensão da própria arquitetura dessa cidade (a consistência física serve como substrato das instâncias estética e histórica, como veículo da unidade estético-histórica). Daí, portanto, o restauro como uma reafirmação da arquitetura da cidade apreendida – uma articulação entre o que constitui e o que fragmenta a unidade da cidade, mediante a identificação e potenciação das suas permanências; e, ainda, mediante o mapeamento e minimização das lacunas nela instauradas. As permanências consistem nas características artísticas e históricas intrínsecas e persistentes, que são transportadas através da passagem dos tempos e que, ausentes, ameaçam a existência da cidade como tal. As lacunas, por sua vez, consistem nos elementos estranhos, que embaraçam a transmissão da unidade através da passagem dos tempos e que tornam a referida unidade fragmentária, inclusive podendo levar à perda definitiva e irremediável da obra. Ademais, tal abordagem, fundamentada na teoria rossiana, permite ler a cidade a partir de uma área-estudo. Assim, propõe-se o restauro da cidade de Pelotas através de sua área central. A partir da exploração in loco da cidade de Pelotas e, por conseguinte, da apreensão da unidade estético-histórica de sua área central (que está na essência da cidade, ainda que de modo fragmentário em sua arquitetura), identificam-se as possibilidades de restauro da referida cidade, remetendo-as à discussão e à elaboração de medidas preservacionistas. Esta dissertação poderá contribuir para adoção de ações práticas, por exemplo, da revisão da legislação urbana vigente.

Origem: Portal PPGAU/ FAUFBA

Acesso pela nossa equipe em: 26 de nov. de 2010.

Anúncios