Título: Um brutalismo suave: traços da arquitetura em Pernambuco (1965-1980)

Autores: Aristoteles Siqueira Campos Cantalice II

Orientador: Fernando Diniz Moreira

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Arquitetura de Pernambuco; Teóricos modernos; ‘Sensibilidade’ construtiva do pós-guerra; Arquitetura brutalista; arquitetura e urbanismo.

Resumo: Este trabalho procura demonstrar as repercussões da arquitetura ‘dita’ brutalista em meados dos anos 1960’ a 1980’ indicando de que forma os arquitetos pernambucanos utilizaram e adaptaram esses componentes e nuances construtivos em voga a partir dessa nova ‘sensibilidade’ construtiva do pós-guerra. Além da historiografia sobre o período indicado, foram utilizados conceitos de teóricos da modernidade como Adolf Loos; John Ruskin; Louis Sullivan e Gottfried Semper, e de autores contemporâneos como David Leatherbarrow, Kenneth Frampton e Gevork Hartoonian. A partir de 1966, os arquitetos locais passam a utilizar aspectos dessa nova ‘sensibilidade’ construtiva, influenciados tanto pela arquitetura internacional e paulista quanto por Delfim Amorim e por Acácio Borsoi, arquitetos que desde a década anterior tinham estabelecido às bases da arquitetura moderna pernambucana, essa arquitetura dita ‘brutalista’ se estabelece na produção local até meados de 1980, quando novas posições e materiais passam a ser utilizados deixando de lado essa exploração pelo concreto, pelo saber fazer e pelos materiais utilizados de forma rudimentar. A dissertação analisa essa produção arquitetônica por meio das novas formas de organizar plantas e espaços internos, pela plástica e jogos volumétricos, pela justaposição e tessitura dos materiais e pela desenvoltura dos sistemas estruturais.

Origem: Portal TEDE UFPE

Acesso pela nossa equipe em: 18 de abril de 2011.

Anúncios