Título: Mapeamento urbanístico: a materialidade da dimensão intangível do patrimônio cultural urbano

Autores: Ana Cecilia Nascimento Rocha

Orientador: Prof. Dr. Leonardo Barci

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Patrimônio cultural urbano, espaço cultural, lugar, mapeamento urbano.

Resumo: O conceito de patrimônio, bem como o de cultura, ampliou-se considerávelmente com o tempo, tornando-se muito mais abrangente e, deste modo, suscitando novas questões no que tange à sua preservação e entendimento. Atualmente, o termo patrimônio cultural ultrapassa, e muito, o seu sentido original de bem exclusivamente material, possuindo ainda um substrato coletivo e intocável. Trata-se do chamado patrimônio cultural imaterial ou intangível, que incluem as tradições orais, os costumes, as linguas, as músicas, as festas, os rituais, a medicina e farmacologia tradicionais, a gastronomia e todas as habilidades especiais relacionadas com os aspectos materiais da cultura, como as ferramentas e os lugares onde estas atividades tomam curso – os denominados espaços culturais, suportes da tradição. Todo testemunho material possui uma dimensão inatingível, bem como o revés se verifica: todo patrimônio imaterial possui uma dimensão tátil, revelando-se por materialidades, pela mão do homem que desvenda o saber-fazer, pelo espaço onde as atividades tomam curso, pela natureza a qual se apropria e modifica, pelos objetos que compõem a prática. No último item dos seus objetivos específicos, o INRC – Inventário Nacional de Referências Culturais – elaborado pelo IPHAN, identifica a Arquitetura e a Antropologia como sendo as disciplinas que especialmente se dedicam à temática do patrimônio. Assim, como base no INRC e no estudo de Registro Cultural de Lugares, procuramos atingir treês principais objetivos neste trabalho: 1) Reunir, nas diversas áreas do conhecimento investigadas, as metodologias, informações e tecnologias que pudessem ser adaptadas e aplicadas no mapeamento urbanistico de espaços culturais; 2) Aprimorar e integrar as diversas metodologias de modo a elaborar um produto coeso, panorâmico, linear e claro; 3) Evidenciar, por meio da prática em um estudo de caso no Espaço Cultural Alameda Av. Bernardo Monteiro em Belo Horizonte, a importância da contribuição do arquiteto no registro, proteção e investigação do patrimônio imaterial urbano, através do mapeamento das análises de sua dimensão material construída. Além dos recursos de mapeamento convencionais, foram testadas com sucesso tecnologias avançadas de escaneamento a laser de fachadas e ambeintes urbanos. Finalizamos com algumas propostas de continuidade desta dissertação que, pela complexidade e importância do objeto – a própria cidade e seu patrimônio cultural 0 demanda contínua e dedicada investigação.

Origem: Biblioteca Digital UFMG

Acesso pela nossa equipe em: 01 de out. de 2010.

Anúncios