Título: Por uma teoria instável: pensamento e não-pensamento em arquitetura e o caso de Bernard Tschumi

Autores: Natália Lelis

Orientador: Dr. Stephàne Huchet

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: Não tem.

Resumo: A proposta de investigação do pensamento arquitetural como pensamento, que é instável, transformável, modificável, implica um deslocamento em que o referencial teórico se torna objeto de pesquisa e pode indicar pré-supostos implícitos nas abordagens e a possibilidade de múltiplas aproximações acadêmicas da realidade, contribuindo para a concepção de conhecimento como exercício constante do pensamento crítico. O objetivo é estabelecer uma possibilidade de instabilização da teoria da arquitetura, através do seu deslocamento, de um elemento isolado e absoluto em seu sentido concreto e simbólico para um elemento que é definido nas suas relações com o todo do sistema social. Propõe-se investigar a ocorrência de conceitos sedimentados na Teoria Contemporânea da Arquitetura, a partir da análise crítica de “Architecture and Disjunction”, de Bernard Tschumi. Essa proposta, associada à noção de sistema social como ordem inabarcável em sua totalidade, não se coloca como tentativa de ou caminho para a construção de um conhecimento coerente e/ou verdadeiro. Ela sugere o conceito de teoria instável, que aceita a inevitabilidade da adoção de pré-supostos, mas também os coloca como referências temporárias passíveis de questionamento. A indicação da falibilidade e de incoerências nos textos teóricos tem por objetivo afirmar a pertinência de não se tomar esses textos como dados, verdadeiros a priori – as incongruências do pensamento acadêmico são vistas como inerentes, e é precisamente isso que reforça a concepção de conhecimento como associado a pensamento e movimento, que remete a autoconhecimento e autoquestionamento constante.

Origem: Biblioteca Digital UFMG

Acesso pela nossa equipe em: 24 de set. de 2010.

Anúncios