Título: Estudo tecnológico do chalé de ferro Ioepa: Subsídios para a salvaguarda de Arquitetura de Ferro no Brasil.

Autor: Flávia Olegário Palácios

Orientador: Mário Mendonça de Oliveira

Categoria: Dissertação

Palavras-chave: arquitetura do ferro; Belém; tecnologias de restauro

Resumo: O uso do ferro na arquitetura intensificou-se a partir da segunda metade do século XVIII na Europa, e sua influência estendeu-se a vários países em crescimento, como o Brasil. A instalação de edifícios de fácil construção, como os metálicos, foi necessária, e considerada sinal de modernidade por ser de simples montagem e transporte. Mesmo possuindo valor histórico, tecnológico e arquitetônico, muitos desses edifícios não existem mais, pois não foram poupados nos diversos processos de grandes transformações por que passam várias cidades brasileiras, como Belém, que possui grande número de exemplares de edificações em ferro, inclusive os três únicos chalés inteiramente de ferro do país, construídos segundo o Sistema Danly, da fábrica belga Forges d’Aiseau. Um deles, o chalé IOEPA, encontra-se desmontado, sem documentação atual do seu estado de conservação e da quantidade de peças ainda existentes. Vários componentes arquitetônicos foram perdidos ou danificados pelo armazenamento incorreto, expostos às intempéries e submetidos à corrosão crescente. Este é um exemplar único e sua importância histórica e arquitetônica deve ser assegurada. O objetivo desse estudo é propor subsídios para a salvaguarda da arquitetura de ferro no Brasil. O chalé IOEPA foi escolhido como modelo de aplicação da pesquisa por ser o exemplar ideal, já que se encontra desmontado e em alto nível de degradação. A metodologia do estudo abrange duas frentes de pesquisa: documental e tecnológica. A pesquisa documental abrange a aquisição de dados métricos e quantitativos. O processamento das informações coletadas, utilizando métodos tradicionais de documentação aliados às tecnologias CAD, visa auxiliar a remontagem virtual do edifício, identificando a quantidade de peças existentes, assim como balizar os processos restaurativos, no que se refere às áreas afetadas por intempéries e o número de réplicas necessárias. A pesquisa tecnológica está dividida em três etapas. A primeira referente à análise da caracterização física, química e mineralógica de amostras de peças metálicas e de camadas de revestimento, utilizando os seguintes ensaios laboratoriais: densidade pelo picnômetro de Hubbard, tração, MEV, DRX, microscopia ótica e fluorescência de raios-X. A segunda refere-se à avaliação estrutural do edifício por meio do FTOOLS; e a terceira ao diagnóstico e propostas restaurativas. Como resultados da documentação foram desenvolvidos para 1.785 peças, desenhos, fichas cadastrais, projeto de montagem, reconstituição virtual auxiliada por tecnologias CAD. Por meio da pesquisa tecnológica  determinaram-se as propriedades físicas do ferro, a cor de tinta utilizada, a composição química e mineralógica da liga metálica e das camadas de proteção; o diagnóstico e as diretrizes restaurativas. Devido ao desenvolvimento deste estudo, foi possível concluir que a metodologia aplicada pode ser utilizada em diversos edifícios metálicos, pois auxiliou na comprovação de que o chalé IOEPA pode ser remontado baseado nas informações coletadas e processadas.

Origem do arquivo: Portal UFBA – PPG-AU FAUFBA

Acesso pela nossa equipe em: 16 de abril de 2012.

Anúncios