Título: O Iluminismo e a urbanística portuguesa: transformações em Lisboa, Porto e Salvador no século XVIII.

Autor: Gina Veiga Pinheiro Marocci

Orientador: Marco Aurélio A. F. Gomes

Categoria: Tese

Palavras-chave: Memória; Intervenções; Salvador

Resumo: A discussão concentra-se nas intervenções urbanas realizadas em Salvador, no período entre os últimos trinta anos do século XVIII e os vinte primeiros anos do século XIX, investigando-se a introdução de novos padrões urbanísticos numa ação conjunta entre particulares e governantes, continuada na administração Conde dos Arcos, no início do século XIX, e que se define como uma estratégia de construção de um novo padrão urbanístico para a cidade. As mudanças sociais e econômicas do período e a ascensão social dos comerciantes têm um papel importante na assistência a problemas urbanos como a segurança, a salubridade, a circulação e a estética. Percebe-se que, a partir da segunda metade do século XVIII, há uma preocupação maior com esses aspectos, transparecendo com maior clareza, nos documentos oficias do período, as tentativas de solucioná-los. Observa-se, também, a presença e a atuação maior dos engenheiros militares a serviço dos governadores, inserindo-se, assim, um aspecto importante no processo de introdução desses novos padrões urbanísticos, que é a participação de uma mão de obra especializada. Algumas fontes primárias referentes ao poder municipal foram utilizadas, traçando-se um perfil da administração da cidade e de suas principais atuações. Pode-se, assim, também com apoio da bibliografia especializada, conhecer e identificar os maiores problemas urbanos do período, bem como as ações do poder local que visavam a saná-los. O trabalho está estruturado em três capítulos centrados em Salvador. O primeiro trata da importância política e econômica da cidade para o império colonial português, bem como seu papel ideológico, que influi na concretização do domínio e do controle da vida colonial. Ainda neste capítulo, a sociedade colonial baiana é analisada, ressaltando-se a importância dos senhores de engenho e sua influência em toda a economia regional e nos fluxos e refluxos da vida da cidade. A ascensão econômica dos comerciantes, ao final do século XVIII, também é analisada por ser um dado importante para o entendimento dos novos rumos da política e da economia baiana. Uma terceira parte do capítulo trata da Câmara Municipal e sua constituição ao longo do século XVIII. O segundo capítulo apresenta aspectos da evolução física de Salvador na primeira metade do século XVIII, seus principais problemas de funcionamento e a intervenção do poder local no seu funcionamento e na normalização. São apresentados e analisados aspectos urbanísticos das Ordenações Filipinas e da legislação Canônica, representada pelas constituições primeiras do arcebispado da Bahia, editadas em 1707, constituindo-se, juntamente com as Posturas Municipais, um quadro geral da temática contida nas leis do período. O terceiro capítulo está dividido em quatro partes e concentra-se nas inovações urbanísticas da segunda metade do século XVIII. A primeira parte pretende demonstrar a continuidade dos problemas urbanos e o avanço das tentativas de saná-los. A segunda parte apresenta a contribuição dos engenheiros militares nas inovações urbanísticas, bem como a importância da experiência da reconstrução de Lisboa após o terremoto de 1775. A terceira parte está concentrada na aplicação dos novos padrões urbanísticos em Salvador, que apontam para uma maior regularização do traçado, da uniformidade das fachadas e da inserção de novos equipamentos urbanos. A quarta parte, que estende a pesquisa até as duas primeiras décadas do século XIX, concentra-se nas ações do governo do Conde dos Arcos e sua visão inovadora. Com esta pesquisa, pretende-se contribuir para o estudo da história da cidade no Brasil, através da discussão sobre a presença de diretrizes urbanísticas no século XVIII que vão orientar intervenções em importantes cidades brasileiras, a fim de se constituírem novos padrões urbanísticos e um novo modo de intervenção nas cidades que vai ter sua aplicação mais definida ao longo do século XIX.

Origem do arquivo: Portal UFBA – PPG-AU FAUFBA.

Acesso pela nossa equipe em: 16 de abril de 2012.

Anúncios